Frase do Dia:




::Deixe seu recado::





::[Contra]-Informação::











...o que passou...
- 30/07/2006 a 05/08/2006
- 29/01/2006 a 04/02/2006
- 25/09/2005 a 01/10/2005
- 10/07/2005 a 16/07/2005
- 26/06/2005 a 02/07/2005
- 19/06/2005 a 25/06/2005
- 12/06/2005 a 18/06/2005
- 22/05/2005 a 28/05/2005
- 15/05/2005 a 21/05/2005
- 08/05/2005 a 14/05/2005
- 24/04/2005 a 30/04/2005
- 17/04/2005 a 23/04/2005
- 27/03/2005 a 02/04/2005
- 20/03/2005 a 26/03/2005
- 13/03/2005 a 19/03/2005
- 06/03/2005 a 12/03/2005
- 27/02/2005 a 05/03/2005
- 20/02/2005 a 26/02/2005
- 13/02/2005 a 19/02/2005
- 06/02/2005 a 12/02/2005
- 30/01/2005 a 05/02/2005
- 23/01/2005 a 29/01/2005
- 16/01/2005 a 22/01/2005
- 09/01/2005 a 15/01/2005
- 02/01/2005 a 08/01/2005





Invasão dos ratos

A algumas semanas atrás, o publicitário Duda Mendonça, principal marqueteiro da campanha eleitoral de Lula para a presidência, foi preso pelo crime de formação de quadrilha apologia ao crime, ao participar de rinhas de galo. Deu em todos os jornais.

Saiu na Folha de hoje que o palácio do planalto, onde o Lula promove suas demandas, está enfestado de ratos. [Sorte do jornal que o projeto de reforma da imprensa não saiu do papel]. Bom, o fato de que, desde os primórdios, o palácio, seja ele do planalto ou de D. Pedro, é um esgoto habitado por bichos de toda espécie, é sabido por toda a sociedade. O problema é que, assim como animais domésticos, a sociedade os alimenta, da de comer, concede, com seu suor, um lar para esses ratos, os quais no fim das contas fazem jus ao animal que são roubando de quem os deu assistência.

O fato é que, depois das rinhas de galo, hoje as brigas estão ocorrendo entre os ratos políticos e, como sempre, em detrimento da sociedade.

Faltam pouco mais de um ano para as próximas eleições e o rato-mor do país está mais preocupado com sua reeleição do que com o povo o qual o colocou na presidência, promovendo rinhas entre os ratos da União, e esquecendo os ratinhos(leia-se povo) que bancam sua pinga todo final de semana.

Dentre as rinhas estão:

  • O "ratocídio" promovido entre os roedores cariocas: O governo federal decretou intervenção em seis hospitais da prefeitura do Rio alegando que o governo carioca não tem capacidade de o gerir, pelo fato de que 80% das salas de cirurgia e 70% dos leitos em dez hospitais estavam desativados. Seria bom se a intenção fosse melhorar os estabelecimentos, promovendo uma melhora na saúde da população. Mas o fato é que o prefeito do Rio, César Maia, é sério candidato pelo seu partido, o PFL, às eleições presidenciais do ano que vem; aí já se tem a noção do porquê desta "retaliação" por parte do PT, principal inimigo dos ratos pefelistas.
  • Os roedores do legislativo entraram em desavença porque o "roedor do baixo clero", Severino Cavalcante, presidente da Câmara está para colocar em pauta a votação do aumento de salário dos deputados, e roedor-presidente do senado, Renan Calheiros não aprovou a emenda. Está semana já subiu de R$33.000 para R$50.000 o valor de verba para o gabinete, arrombando ainda mais os cofres públicos, e o bolso do trabalhador.
  • PT x PFL. Ao invés de estarem se unindo por um país melhor, os dois partidos, nos últimos dias, estão se agredindo constantemente, seja no caso do Rio, seja no fato de que o governador de Sergipe não foi convidado para as festas de comemoração dos 150 anos de Aracaju. Tanta patifaria por nada.

Já não sei dizer qual é mais nocivo. Se os ratos que invadiram o planalto, ou se os que já lá estavam. Uma coisa é certa, eles estão roendo toda a estrutura desta sociedade e daqui a pouco não á o que agüente.

Como diria Maquiavel: "Os fins justificam os meios". No caso o governo fode a população para se beneficiar.

 

Frase: "Doze vozes gritavam, cheias de ódio, e eram todas iguais. Não havia dúvida, agora, quanto ao que sucedera à fisionomia dos porcos. As criaturas de fora olhavam de um porco para um homem, de um homem para um porco e de um porco para um homem outra vez; mas já nào era possível distinguir quem era homem, quem era porco." 

Revolução dos bichos - George Orwell



- Postado por: Juninho às 23h48
[ ] [ envie esta mensagem ]

______________________________________________




20 anos de democracia?  HAHÁ!!

Brasil, 15 de março de 1985 – O país está eufórico...alegre e triste. Este paradoxo representa toda a esperança de uma nação (que durante duas décadas foi extremamente oprimida por uma ditadura militar), depositada nas mãos de um só homem – Tancredo Neves. Depois de 20 anos, com suas mentes e corações aprisionados sob o jugo de militares inescrupulosos, o país elege um presidente pela suposta democracia, sob a forma de votos livres, está prestes a mergulhar numa nova fase, quiçá uma nação livre, democrática, sem desigualdades, sem pobreza...enfim, um Brasil justo, digno de se viver.

Enquanto o eleito agoniza na cama de um hospital, ainda militar, qualquer, o país vive um momento crítico. Figueiredo(o último dos militares) não aceita passar a faixa presidencial para o vice(Sarney) e corre-se o risco de haver outra eleição, quiçá mais 5, 10 anos de ditadura. Porém nada acontece, e Sarney toma posse. E blá-blá-blá.

Demagogia, democracia, hipocrisia, lealdade, falsidade, compaixão.

O que consta nos anais da história política brasileira, nestes últimos 20 anos, são só elogios para com o finado-presidente-eleito, o qual nem chegou a tomar posse. Tancredo morre 37 dias depois, no dia 21 de abril. O país chora a perda de um homem que, supostamente, traria a redemocratização novamente ao povo. Com lula foi a mesma festa. E no que deu?

Sempre é a mesma coisa. "A esperança venceu o medo"; É democracia pra cá, liberdade pra lá. Sempre as mesmas frases-feitas, a cada 4 anos, enchem o povo de esperança. Talvez pelo fato de ser um povo sofrido, miserável, um rebanho que clama por liberdade, mas tem medo dela e vive sedentos por alguém, seja quem for, e os ordene a viverem acorrentados. E é só chegar um lobo com roupa de ovelhinha, todo bonitinho, falando bem, que o povo otário se deixa levar por essas histórias da carochinha de que, a partir de agora serão todos felizes para sempre.

Brasil, 15 de março de 2005 – O que, para o nosso país, era pra ser uma festa, na realidade se tornou pesadelo. Está nos jornais, na Tv, todos comemoram o fato de hoje completar 20 anos da suposta redemocratização. Mais demagogia. Democracia é utopia, não existe. Somente na lábia de políticos inescrupulosos.

Democracia, segundo consta no dicionário houaiss, é um "sistema político comprometido com a igualdade ou com a distribuição eqüitativa de poder entre todos os cidadãos". Estranho. Como um país o qual, enquanto milhões estão abaixo do nível de miséria, vivendo uma vida extremamente precária, um presidente gasta bilhões de dólares, vindos do bolso do próprio trabalhador, em coisas supérfluas, como um avião caríssimo...enfim, como pode-se dizer que um país nessas condições é democrático?

É muita cara-de-pau desses políticos dizerem que vivemos numa democracia. É sempre a mesma história, enquanto roubam milhões, enquanto escravizam o povo, tentam iludir este com a velha e tradicional, sempre em voga, patifaria do "pão e circo". É fome-zero, bolsa-escola, auxilio-moradia, futebol na TV, Big Brother, igreja universal do reino de deus. Todos estes iludem o povo, mantendo-os estagnados com a esperança de um futuro melhor, quando na verdade estão sendo enganados, amarrados, acorrentados, presos ante o nó da gravata dos corruptos.

É incrível ver que ainda existe esperança de um país melhor. Não da pra acreditar que, depois de tantas experiências fracassadas, ainda acredita-se em um país melhor. A cada dia a pobreza se torna mais real; a cada dia os ricos ficam mais ricos em detrimento dos sub-seres-humanos que vivem uma vida extremamente pobre nos rincões deste país imenso.

É revoltante saber que o povo é a causa da sua miséria. O povo é que faz a riqueza, mas é ele o único não beneficiado. O povo trabalha para o rico ficar mais rico. A burguesia fede. Não adianta. Esperança existe só no coração dos fracos. Aqui já morreu. Posso ser o melhor, mas não posso fazer meu país ser o melhor, não posso mudar a história. "Enquanto um chora, outro ri".

 

"Assim será até o fim do mundo, mesmo quando ja tiverem desaparecidos os deuses: os homens se prosternarão ante ídolos" - Dostoiévski 



- Postado por: Juninho às 23h36
[ ] [ envie esta mensagem ]

______________________________________________







* :::JuNiNhO:::*


Viva a Contracultura